Medicina Natural

Início » Noticias

Arquivo da categoria: Noticias

Melatonina

pineal

A melatonina é um hormônio que exerce papel fundamental na regulação de um importante ciclo na vida dos seres humanos: o ciclo circadiano, também conhecido como ciclo claro-escuro. A melatonina é secretada pela glândula pineal que fica localiza no cérebro e  sua produção é estimulada pela ausência de luz. Quando a retina registra sinais luminosos envia as informações para o núcleo supraquiasmático que as repassa para a medula espinal até chegar na glândula pineal, esse processo encerra a produção do hormônio.

A melatonina é naturalmente produzida pelo nosso organismo, mas o envelhecimento diminui a produção. Esse e outros fatores como distúrbios do sono, trabalhos em turnos, deficiência visual e a presença de jet-lags podem interferir na produção de melatonina e afetar a qualidade e o padrão de sono.

Quando isto ocorre pode-se administrar melatonina exógena para facilitar e melhorar a qualidade do sono. Pessoas com deficiência visual ou  trabalhadores em turnos podem usar o hormônio com o objetivo de sincronizar ritmos biológicos. A melatonina também tem se mostrado eficaz na prevenção e no tratamento de jet-lags, diminuindo as consequências das alterações dos fuso-horários.

Com a exigência de uma sociedade 24/7, termo que define atividade 24 horas nos 7 dias na semana, há uma necessidade cada vez maior de pessoas que possam trabalhar em horários não tradicionais e enfrentar diversas viagens com fuso-horários diversos. Essas constantes alterações podem trazer sérias consequências à saúde e também à  segurança do trabalhador.

Recentes estudos têm revelado novas ações desse hormônio como um potente antioxidante, previne a carcinogênese, atua nas desordens neurodegenerativas e evita a progressão de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer.

As vantagens da melatonina em relação a outros tratamentos farmacológicos é a aparente ausência de efeitos colaterais, mas vale um alerta importante: para saber a dose correta,  omelhor horário para a administração e principalmente se a melatonina é indicada para o seu problema, o ideal é procurar um médico especialista.

Anúncios

Mais de 2 mil bebês morreram após serem vacinados

vacina morte bebes24 de março de 2011

No início deste mês (março 2011), as autoridades japonesas ordenaram a médicos

que parassem de usar vacinas contra o pneumococo e Hib porque quatro crianças

morreram depois de receber as injeções. No entanto, a verdadeira notícia nunca foi

relatada: mais de 2.000 bebês morreram nos Estados Unidos após terem recebido

as vacinas para essas doenças mesmo, mas as autoridades recusam-se a alertar os

pais e parar a produção. Uma revisão de segurança é fundamental para determinar

se uma revogação das injeções perigosas pode ser necessária para proteger mais

bebês americanos contra incapacidade e morte.

O Sistema de Laudos de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS), operada em

conjunto pela FDA e CDC, já recebeu mais de 59.000 relatos de reações adversas

às vacinas contra pneumococo e Hib durante os últimos anos. Mais da metade desses

casos – 30.094 – necessitaram de internação hospitalar, com 2.169 mortes. Cerca de

95 por cento dessas mortes foram em crianças menores de três anos de idade.

Nos últimos cinco anos, entre 2006 e 2010, 17.595 pessoas nos EUA tiveram reações

adversas às vacinas contra pneumococo e Hib, 464 dessas pessoas morreram depois

de receber suas injeções. Também deve-se salientar que estes números representam

apenas relatos “oficiais” para a VAERS. O ex-chefe da FDA, David Kessler, estimou que

para cada relatório oficial de uma reacção adversa ao medicamento, cerca de 100 outras

pessoas também estão feridas, mas não conseguem fazer um relatório.

Em resumo, quatro crianças japonesas morreram depois de receber vacinas e o

Ministério da Saúde japonês imediatamente interrompeu o programa de vacinação.

Autoridades de saúde dos EUA declararam esta ação como “tola”, embora seja melhor

salvar bebês de danos adicionais. Nos Estados Unidos, milhares de pessoas morreram

após receberem vacinas para as mesmas doenças, mas as autoridades não estão nem aí.

Autoridades de vacinas dos EUA acreditam que as crianças são dispensáveis, um mercado

alvo garantido a ser utilizado para benefício comercial. Incapacidade e morte de cidadãos

dos EUA após terem recebido as vacinas mandadas são apenas tratadas como o custo

de fazer negócios.

Fonte: Natural News

Ervas Naturais Para Aliviar a Dor da Cólica Menstrual

cólica menstrual (pl. cólicas menstruais), também conhecidas como dismenorréia, é

uma condição médica ginecológica caracterizada por dor uterina grave durante a menstruação.

As dores de cólica incluem a dor afiada, latejante maçante, enjoativa, ardorosa ou aguda e pode

preceder a menstruação por vários dias ou pode acompanhá-la, e geralmente desaparece à

medida que o sangramento diminui.

O principal sintoma da dismenorréia é a dor concentrada no abdômen, na região do umbigo

ou na região suprapúbica do abdômen, que pode irradiar para as coxas e região lombar.

Outros sintomas de cólicas menstruais podem incluir náuseas e vômitos, diarréia ou constipação,

dor de cabeça, tontura, desorientação, hipersensibilidade à luz, som, cheiro e toque, desmaios

e cansaço. Em estados de fragilidade emocional, a dor menstrual pode ser ainda mais grave.

Vários chás de plantas medicinais são preparados tradicionalmente para aliviar cólicas menstruais

. As ervas naturais que relaxam os músculos, conhecidas como antiespasmódicas, contêm

fitoquímicos que facilitam espasmos musculares e ajudam a relaxar o útero. Muitas destas ervas

também possuem um suave efeito sedativo, acalmando os nervos ao mesmo tempo que aliviam

as cólicas menstruais.

Black Cohosh – É uma das plantas medicinais com maiores propriedades para a saúde da

mulheres e também é usado para esta condição, vez que possui poderosas propriedades

antiespasmódicas, sendo útil no alívio de cólicas menstruais.

Camomila – Na Inglaterra, a Camomila é uma das ervas medicinais mais utilizadas para

o tratamento da menstruação irregular. A Camomila contém um agente antiespasmódico

muito forte que relaxa músculos tensos e alivia dores no corpo e dor pré-menstrual.

Cava Cava – Possui fitoquímicos chamado kavaloactones, que aliviam o estresse e influi

no relaxamento dos músculos. O Kava-Kava também possui uma propriedade curiosa para

o trato genito-urinário, especialmente em mulheres, relaxando o útero e tornando-o

especialmente útil contra cólicas menstruais.

Chás Medicinais – O chá de Framboesa e o chá de Erva-Cidreira são muito usados na

medicina popular para aliviar os sintomas da dismenorréia. Um importante uso medicinal

da Erva-cidreira consiste em promover a menstruação e aliviar as dores durante o período.

Gengibre – Direciona o sangue para a região pélvica e ajuda a aliviar os bloqueios pélvicos.

Suas propriedades antiespasmódicas relaxam a musculatura lisa e, assim, ajudam a aliviar

as cólicas menstruais.

Inhame-Selvagem – É uma erva conhecida por ter propriedades antiinflamatórias e

antiespasmódicas e consegue diminuir a dor menstrual, bem como a inflamação associada

à endometriose, que leva ao tecido cicatricial. No entanto, como antiespasmódico, a planta

já foi utilizada com sucesso na cura para a cólica biliar, sendo especialmente útil para as

náuseas das mulheres grávidas. A planta é valiosa também em dores de cólica causadas

por Cólera – Cholera, soluços e asma espasmódica.

Viburno – A casca do Viburnum contém pelo menos quatro fitoquímicos que facilitam o

relaxamento de cólicas uterinas. Os Viburnums são uteis para relaxar o útero, e tratar

cólicas uterinas e dismenorréia.

Observação: Várias outras plantas medicinais são usadas tradicionalmente para aliviar

os sintomas da dismenorréia (cólicas menstruais).

Ervas Aromáticas

O uso da Aromaterapia através de massagens abdominais relaxantes pode ter efeito

benéfico para liberar a dor e a tensão do baixo ventre. Algumas das ervas aromáticas

mais utilizadas para este fim são o Gerânio, a Camomila e o Jasmim. Estes mesmos óleos

de massagem podem ser adicionados a um ambiente aconchegante ou a um banho de

ervas.

Fitoterápicos e Pesquisas

Outros medicamentos à base de plantas medicinais têm sido estudadas no tratamento

da dismenorréia. Em 2008 foram encontradas evidências promissoras advindas da

medicina tradicional chinesa para a dismenorréia primária, mas que a prova foi limitada

por alguns médicos pela sua baixa qualidade metodológica. Um outro estudo indicou

que dois fitoterápicos japoneses, Shakuyaku-kanzo-to (SK) e Toki-shakuyaku-san (TS)

proporcionaram alivio total a todos os pacientes da pesquisa. A análise indicou a eficácia

do uso da nitroglicerina transdérmica. (Department of Obstetrics & Gynecology,

Wakayama Medical University, Kimi-idera, Wakayama, Japan.)

Read more: http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/tratamento-natural-colica-menstrual-colicas-menstruais.html#ixzz2Nqe38SOz

Maitake O cogumelo que fortalece o sistema imunitário

Maitake

O maitake (grifolia frondosa) é um cogumelo comestível muito popular no Japão e um dos fungos mais

utilizados pela Naturopatia. Pode encontrá-lo em centros dietéticos.

Num estudo de 1997, realizado em vários hospitais e centros oncológicos do Japão, 165 pacientes com

vários tipos de cancro, com 25 a 65 anos de idade, combinaram o uso de maitake com o tratamento

convencional. Os efeitos secundários da quimioterapia foram reduzidos em 90% dos pacientes e a dor

em 83%.

Na hepatite viral, um estudo demonstrou que a associação do maitake com um fármaco anti-viral (o

interferão alfa-2b) aumenta em nove vezes a eficácia do tratamento, como revelou o estudo Antiviral Research

de 2007.

As propriedades terapêuticas deste cogumelo

O maitake é um estimulante do sistema imunitário de largo espetro. Atua em casos mais simples (gripes

e outras infeções bacterianas e virais), mas também em oncologia, ajudando a inibir o desenvolvimento

de tumores e metástases.

No Japão, é um dos tratamentos mais utilizados para o cancro do estômago, sendo também utilizado nas

neoplasias do cólon, mama, pulmões, fígado, próstata e cérebro. Aumenta os efeitos da quimioterapia ao

mesmo tempo que reduz os seus efeitos adversos (queda de cabelo, dores e náuseas).

Este cogumelo atua como desintoxicante do fígado, sendo útil no tratamento de hepatites, principalmente

virais. O maitake pode ainda ser usado como coadjuvante de outros tratamentos naturopáticos no controle

da diabetes, pressão arterial e infeção por HIV.

 

Flúor na água e seu mal

Durante a Segunda Guerra Mundial, milhares de inocentes foram exterminados nos campos de concentração nazistas. Entre as várias técnicas de extermínio, as câmaras de gás envenenavam o ar e o destino dos corpos era os fornos (crematórios de guerra). Para controlar a agitação e rebeliões dos prisioneiros, os cientistas encontraram um método simples: descobriram que repetidas doses de flúor em quantidades muito pequenas afetam o cérebro, envenenando e narcotizando lentamente as pessoas tornando-as submissas. Os comandantes dos campos alemães ordenaram a adição do produto químico na água.

No final da guerra, os Estados Unidos encarregaram Charles Eliot Perkins, um pesquisador especializado em química, patologia e fisiologia, de estudar a técnica de controle da mente. Em sua pesquisa na Alemanha, Perkins obteve várias conclusões assustadoras. Informou que “quando os nazistas, sob as ordens de Hitler, decidiram atacar a Polônia, cientistas e militares alemães e russos trocaram informações. Os russos adotaram o esquema de controle de massa através da medicação, porque se adaptava perfeitamente aos seus planos”.

Opositores da fluoretação têm usado insistentemente a internet, divulgando denúncias como essa e pesquisas que condenam o método. Em Joinville, a Casan aplica o flúor na água como tratamento de saúde pública massificado para a prevenção da cárie dentária. Um dos maiores combatentes, o americano e doutor em química, Paul Connett, tem uma das mais abrangentes pesquisas sobre o tema disponível no sítio http://www.fluoridealert.org. Nas “50 razões para opor-se à fluoretação”, ele confirma: “O flúor é biologicamente ativo mesmo em baixas concentrações. Ele interfere com os ligamentos de hidrogênio, que é o centro da estrutura e funções das proteínas e ácidos nucléicos. Assim, tem o potencial de provocar distúrbios no processo vital do organismo”.

Este artigo foi escrito por Revista Terceiro Milênio em 23 de maio de 2012 às 12:25, e está arquivado em Medicina Alternativa. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta.

ONU lança alerta sobre impacto de produtos químicos na saúde

Componentes químicos artificiais presentes no nosso dia a dia podem ter um impacto significativo no sistema hormonal, favorecendo o desenvolvimento de doenças, de problemas de fertilidade e males congênitos, informa um estudo da ONU divulgado ontem.

O estudo diz que o número de químicos EDCs –substâncias com efeitos endocrinológicos, na sigla em inglês– aumentou “dramaticamente” entre 2000 e 2012, e muitos não são testados quanto a seus efeitos na saúde humana e na natureza.

Esses químicos incluem aditivos em embalagens, bens de consumo (eletrônicos, móveis, produtos de limpeza), produtos de cuidados pessoais (xampus, cremes, sabão) e farmacêuticos.

Divulgação
Mamadeiras e copos para crianças feitos de plástico
Mamadeiras e copos para crianças feitos de plástico

“Humanos estão expostos a EDCs por diversas formas, incluindo ingestão de comida, poeira, água e inalação”, aponta o relatório, feito em conjunto pela Organização Mundial da Saúde e a agência da ONU para o meio ambiente (Unep).

“Esses químicos vêm de fontes variadas, entram no meio ambiente durante a produção, o uso ou a eliminação de químicos e produtos e provocam diferentes [efeitos].”

O problema, diz o relatório, é que é ainda há poucos dados sobre como esses EDCs são produzidos e onde são colocados. Também faltam estudos detalhados sobre seus efeitos no sistema hormonal e sua relação com doenças específicas.

O que se acredita é que a exposição a muitos desses químicos pode estar ligada a casos de câncer de mama, tireoide e próstata, deformações em bebês, hiperatividade em crianças, diabetes, asma, obesidade, males de Alzheimer e Parkinson, derrames e queda de fertilidade.

Crianças podem entrar em contato com EDCs no ventre da mãe ou na infância, colocando coisas na boca.

PRODUTOS QUÍMICOS

Entre os produtos químicos que, segundo a ONU, podem alterar o sistema hormonal estão ftalatos (usados em plásticos maleáveis e na produção de brinquedos, perfumes e farmacêuticos, inclusive desodorantes); bisfenol A (também chamado BPA, substância usada para endurecer plásticos e encontrada em embalagens de bebidas e alimentos).

O relatório diz também que níveis relativamente altos de bifenil policlorado já foram encontrados em atuns coletados na costa do Brasil. O componente é um dos fatores de risco para câncer de mama.

Por enquanto, são poucos os países –EUA, Canadá e algumas nações europeias– que baniram o uso de alguns EDCs, especialmente em itens usados por crianças.

“No momento, apenas uma pequena parcela de químicos e poucos tipos de EDCs são medidos, fazendo deles a ponta do iceberg”, prossegue o estudo, agregando que muitos produtos não declaram esses aditivos químicos em suas embalagens.

da BBC Brasil

http://www1.folha.uol.com.br/bbc/1233679-onu-lanca-alerta-sobre-impacto-de-produtos-quimicos-na-saude.shtml

Cinco principais ervas medicinais que ajudam na luta da gripe

 Usar medicamentos fitoterápicos para se defender de doenças é uma prática tradicional que

ainda vive hoje. Especialistas debatem sobre aeficácia dessas ervas na prevenção da gripe e

outros tipos de doenças por causa da falta de provas. Por outro lado, outros têm dúvidas sobre

a sua eficácia. O fato é que essas ervas possuem qualidades que ajudam o corpo a se tornar fo

rte o suficiente para lutar contra a doença.

É importante, no entanto, de consultar adequadamente com um profissional antes de tomar

qualquer destes medicamentos fitoterápicos.

Alho

Há certas características de alho que o tornam eficaz em aumentar as células brancas do

sangue,que é realmente a primeira defesa do corpo contra todos os tipos de infecção e doenças.

Tem sido realmente um estudo publicado sobre as capacidades de alho e foi incluído no Jornal da

Associação Nacional de Medicina . O estudo foi iniciado pelo Dr. Tariq Abdullah. De acordo com

o Dr. Abdullah, alho eficácia é comprovada no início da gripe. É tomado com mel e mastigado no

cravo. Esta forma de consumir o alho ajuda na absorção fácil. Os vapores de alho pode

fazer o seu caminho através dos seios durante a deglutição e pode ter benéfico para o trato

gastrointestinal.

Echinacea

Este é outro remédio popular de ervas. É bem conhecido por sua capacidade de melhorar o

sistema imunológico. Ele também tem propriedades que podem ajudar a aliviar a dor e

inflamação como por a Universidade de Maryland Medical Center . Por uma questão de facto, há

agora suplementos que vêm de Echinacea seco. Existem algumas precauções que devem ser

observadas, no entanto, com a tomada desta erva , especialmente para os indivíduos que estão

sob imuno-supressor medicação. Para evitar riscos e colher apenas os benefícios, o conselho

de um especialista precisa ser procurado.

Olmo

Esta erva também tem efeitos positivos para o sistema imunológico. Ele especificamente

trabalha para proteger qualquer tecido danificado.

Olmo também tem o objectivo de proteger o esôfago, estômago, intestino e garganta.

Sabugueiro

Este é outro medicamento herbal eficaz que funciona muito bem no tratamento de casos de

gripe, onde o trato respiratório é envolvidos.

Ele ajuda a aliviar dores musculares e dores de garganta e também funciona de forma efica

z na redução da febre. Sabugueiro tem sido

como um estimulante para o sistema imunológico e seu extrato deve ser tomada assim que

os primeiros sintomas da doença são sentidos.

Eucalipto

O eucalipto é bastante eficaz no tratamento da tosse. Ela também pode ajudar a aliviar os

sintomas comuns de gripe e resfriado. As folhas frescas de Eucalipto podem ser utilizadas

como um chá ou gargarejo para aliviar a dor no pescoço. Também pode ser aplicada como

uma pomada para o alívio. Há outras plantas medicinais considerados quanto à sua capacidade

para ajudar o corpo humano a combater doenças como a gripe.

Fontes para este artigo incluem:http://www.naturalnews.com/034851_flu_herbal_remedies

_cures.html http://www.umm.edu/

 

Learn more: http://www.naturalnews.com/.html#ixzz2LLcB3ybC

%d blogueiros gostam disto: